American Horror Story: Asylum (2º temporada)

Apesar da 1º temporada não ter me agradado tanto no quesito entreterimento, essa segunda me prendeu do comesso ao fim, ela conseguiu superar todas as minhas espectativas que já eram boas pelo pouco que li a respeito da historia, ela conseguiu reunir tudo que eu mais gosto em um filme que são aqueles que os personagem amadurecem e lutam até o fim e é isso que temos aqui com uma historia mais simples mas com um desenvolvimento fantástico uma narração que te prende do começo ao fim, dessa vez com uma dose maior de terror com direito a sociopata e posseção.

A historia se passa em 1964 e conta e narra os acontecimentos do hospício Briarcliff comandado pela irmã Jude (Jessica Lange) e seus pacienente acusados de diversos crimes insanos, entre os pacientes estão Kit Walker (Evan Peters) acusado de ter assassinado varias mulheres ficando assim conhecido como bloody face, Grace (Lizzie Brochere) acusada pelo assassinato de sua família, Shelly (Chloe Sevigny) uma ninfomaniaca que foi internada apos trair seu marido e para completar a Jornalista lésbica Lana Winters (Sarah Paulson) que foi internada a forças pela irmã Jude após fazer algumas descobertas comprometedoras, junto com a irmã Jude vem a irmã Mary Eunice (Lily Rabe), o Dr.Arthur Arden (James Cromwell), e o chefe da clinica o Monsenhor Timothy Howard (Joseph Fiennes) alem do psiquiatra contratado para tratar do caso de Kit, o Dt. Oliver Thredson (Zachary Quinto). A trama dramática procura explorar a saúde mental.

A historia vai melhorando a cada episodio te prendendo até o final, apesar de alguns detalhes da historia não terem tido uma conclusão tão boa quanto poderia e também ignorando alguns furos insignificantes. O elenco principal interpretou muito bem seus personagens e novamente Jessica Lange vem se destacando cada vez mais, alem de Sarah Paulson que foi uma grande protagonista e teve um final digno, a serie trouxe ideias muito legais como a de que antes de alguém morrer de fato o anjo da morte vem recolher sua alma com um beijo, porem antes a pessoa sempre tem a opção de escolher se quer viver ou esta pronto para para partir. Enfim em tempos que os filmes de terror não assustam nem um pouco, o publico cobra muito do roteiro e sempre reclama dos personagens que são geralmente “burros”, American horror story Asylum acaba com esse tabu tendo protagonistas inteligentes um enredo bacana e uma boa dose de horror.


            

 

Trailer: 
SHARE
Guilherme Soares
Criador e editor da Cine Mundo, diretor, roteirista e crítico de cinema. Viciado em séries, com um carinho especial pela eterna Six Feet Under e Buffy The Vampire Slayer.