CCXP18 | Primeiras Impressões: Fênix Negra

Um dos painéis mais aguardados da CCXP 2018, sem dúvidas, foi o da 20th Century Fox que contou com a presença das atrizes Jessica Chastain (Smith) e Sophie Turner (Jean Grey/Fênix), ao lado do diretor Simon Kinberg, que estavam ali para falar sobre “Fênix Negra”, um filme que passou por alguns problemas, mas que finalmente será lançado.

A maior surpresa que o estúdio nos concedeu foi a exibição de algumas cenas que no total somam aproximadamente quinze minutos do filme. Os trechos apresentados não estavam em ordem cronológica, mas serviram para nos mostrar um pouco do que nos aguarda.

Primeiras Impressões: Fênix Negra

Pelo que assistimos, o longa parece ser ambientado em meados dos anos 90 e para quem queria cenas do espaço, podem ficar tranquilos, pois irão ver o ônibus espacial Endeavour em uma missão especial. Aguardem!

Mais uma vez Mística assume o papel de liderança e nós ficamos apreensivos para saber se a sua aparição não ofuscará a Fênix ou criará algum traço de competitividade entre as mulheres, esperamos que ao invés disso, enfatizem a mensagem de que juntas são mais fortes.

A cena no espaço acontece com o Ciclope tentando atingir um ponto específico da nave destruída para diminuir a velocidade, enquanto a Tempestade tenta minimizar o vazamento e Noturno e Mercúrio trabalham para resgatar os humanos da nave em colapso. É realmente lindo ver todos os X-men trabalhando juntos.

Ao voltarem para casa de Xavier, Mística questiona até que ponto eles vão continuar se arriscando em missões e ainda brinca que “Os X-men deveriam se chamar X-Women”, por conta das mulheres que estão sempre salvando os homens.

Infelizmente Jessica Chastain não aparece em nenhuma das cenas reveladas no evento, mas esses 15 minutos serviram para nos mostrar que a química entre os X-men está realmente muito boa e que deveremos ter ainda mais cenas no espaço, conforme muitos fãs queriam.

“Fênix Negra” estreia nos cinemas no dia 6 de junho de 2019.

SHARE
Andreza Nunes
Nascida em Recife, jornalista por formação, adoro ensinar e trocar conhecimento. Acredito que o cinema é uma arte enriquecedora que pode promover reflexões, mudanças e propiciar a fuga da realidade.