CCXP18 | Primeiras Impressões: Maquinas Mortais

Peter Jackson retorna em 2018 com o seu novo filme, “Máquinas Mortais” (Mortal Engines) junto com Christian Rivers. Para divulgar a produção, a dupla participou de uma live na CCXP 2018, na qual apresentaram 24 minutos do longa e com isso conseguimos ter as nossas primeiras impressões sobre a produção.

Primeiras Impressões: Maquinas Mortais

A trama é situada muitos anos após a chamada “Guerra dos 60 Minutos”, as cidades foram modificadas completamente em suas estruturas e não ficam mais fixas no solo. Instaladas em máquinas gigantescas com mecanismos complexos, as metrópoles se movimentam de um lado para o outro num planeta devastado. Cidades gigantescas em movimento agora vagam pela Terra, impiedosamente atacando cidades de tração menores. Tom Natsworthy (Robert Sheehan) — que vem de uma camada inferior da grande cidade de tração de Londres — encontra-se lutando por sua própria sobrevivência depois que ele encontra a perigosa fugitiva Hester Shaw (Hera Hilmar). Dois opostos, cujos caminhos nunca deveriam ter cruzado, forjam uma aliança improvável destinada a mudar o curso do futuro.

Ambientado em um mundo pós-apocalíptico com estilo steampunk, o filme começa com muita ação e com cenários interessantíssimos que dão alegria de ver, expondo um verdadeiro espetáculo visual.

Toda a experiência é baseada nos livros escritos por Philip Reeve que descreve um universo que parecia ser impossível de ser construído, mas conforme vimos desde as primeiras imagens, é perceptível o cuidado com a obra literária e o prazer dos diretores em adaptar esse material que conta com um texto rico e com requintes de temas atuais, como o fascismo e a luta das minorias.

Conhecemos também alguns dos personagens, como a própria protagonista vivida por Hera Hilmarsdóttir, que parece quebrar alguns paradigmas sobre a beleza, afinal ela carrega uma cicatriz enorme em seu rosto como símbolo de suas lutas. A outra personagem feminina de destaque é vivida por Leila George D’Onofrio e aparenta ter uma venda nos olhos a respeito das ações de seu pai Thaddeus (Hugo Weaving), um homem que protege a família, mas não se importa em machucar outras pessoas em prol de seus interesses.

“Máquinas Mortais” tem um visual deslumbrante que equilibra cores como vermelho e azul alternando entre ambientes escuros e ensolarados, que fazem o público mergulhar no universo carismático da história. O longa conta com um incrível design de produção que irá emocionar os fãs do gênero steampunk, além de uma boa movimentação de câmera que traz cenas de ação extremamente intensas e empolgantes.

Durante a live, o diretor Christian Rivers ainda comentou que construíram uma cidade temática na Nova Zelândia para compor junto ao CGI (recurso utilizado para dar vida a imagens que são geradas pelo computador) e Peter Jackson acrescentou, comentando que na hora de escrever o roteiro ele enalteceu o seu amor pelo livro e ainda afirmou que desde a primeira vez que leu, ele sentiu vontade de adaptar para os cinemas, afinal, “coisas boas devem ser adaptadas”, encerrou.

Distribuído pela Universal Pictures, “Máquinas Mortais” estreia nos cinemas brasileiros no dia 10 de janeiro.

Assista ao trailer:

SHARE
Andreza Nunes
Nascida em Recife, jornalista por formação, adoro ensinar e trocar conhecimento. Acredito que o cinema é uma arte enriquecedora que pode promover reflexões, mudanças e propiciar a fuga da realidade.