[Cinema] Lançamentos da Semana – 10 de agosto

O Estranho que Amamos

Premiado em Cannes “O Estranho que amamos” é uma adaptação do livro homônimo de Thomas Cullinan. A trama é ambientada durante a Guerra Civil em uma escola dedicada a meninas no sul da Virgínia. Abrigadas no colégio e afastada dos homens, as meninas encontram um soldado machucado que precisa de cuidados médicos, fornecem abrigo e cuidam de suas feridas. Mas, com sua chegada, a casa é estranhamente tomada por uma forte e perigosa tensão sexual que gera rivalidade entre as estudantes. Tabus são quebrados em uma inesperada reviravolta de acontecimentos.

 

O Deserto do Deserto

Nesse documentário, através de depoimentos de diversas pessoas conhecemos mais sobre um conflito civil ocorrido no Saara Ocidental que começou quando a Espanha saiu do local provocando uma divisão entre Marrocos e Mauritânia que terminou por gerar uma das mais violentas e brutais guerras do continente africano, causando um enorme sofrimento para o povo Saharaui.

 

O Dia Mais Feliz da Vida de Olli Mäki

O drama ambientado no ano de 1962, é baseado em fatos reais e a conta história do boxeador finlandês Olli Mäki (Jarkko Lahti), um homem simples, tímido e pacato que vê sua vida mudar subitamente quando ganha a chance de enfrentar o campeão Davey Moore, fazendo com que se torne um símbolo nacional.

 

Malasartes e o Duelo com a Morte

Nessa produção nacional acompanhamos o malandro Pedro Malasartes (Jesuíta Barbosa) que vive no interior do Brasil e passa seus dias com trapaças e enganações, no entanto sua vida mudará quando ele se confrontar com dois inimigos: Próspero (Milhem Cortaz) que fará de tudo para impedir que ele namore sua irmã Áurea (Isis Valverde) e a Morte (Julio Andrade) que trama contra ele para se livrar de seu trabalho entediante e trocar de lugar com Pedro, agora Malasartes terá que usar de muita esperteza para sobreviver a tudo isso.

 

Valerian – A Cidade dos Mil Planetas

O longa é baseado no quadrinho “Valerian e Laureline”, publicado em 1967, de Pierre Christin e Jean-Claude Mézières, que conta a história de Valerian (Dane DeHaan), um viajante do tempo que trabalha para o governo e luta ao lado de Laureline (Cara Delevingne) para proteger o planeta Terra e outros planetas aliados das ameaças de bandidos intergalácticos. Após serem enviados para o planeta Alpha eles precisarão confrontar uma operação que ameaçará a vida de milhões de pessoas.

 

A Viagem de Fanny

Baseado em fatos reais, o filme francês “A Viagem de Fanny” é ambientado em tempos de guerra. Uma garota de 12 anos terá que pela ocasião de guerra passar a se chamar Fanny e liderar um grupo de crianças que precisam chegar à fronteira da Suíça. Fanny terá que demostrar muita coragem, pois é responsável por cuidar dessas crianças e mostrar-lhes logo cedo o valor da empatia e amizade.

 

Diário de um Banana: Caindo na Estrada

Na trama de Diário de um Banana 4: Caindo na Estrada, Greg Haffley implora para a família sair em uma viagem longa para comemorar os 90 anos da avó, mas na verdade, o garoto quer mesmo é participar de uma convenção de games que acontece ali por perto.

 

O Reino Gelado: Fogo e Gelo

Após heroicamente derrotar a Rainha da Neve, Gerda ainda não conseguiu encontrar a paz. Seu sonho é encontrar os pais dela que foram levados pelo Vento do Norte e finalmente reunir a família. Então, Gerda e seus amigos embarcam em uma excitante jornada para buscar seus pais e encontram novos desafios pelo caminho: Eles descobrem um antigo artefato mágico dos Trolls, a Pedra do Desejo. A partir deste momento, as coisas não saem mais como planejado… será que Gerda conseguirá domar as poderosas forças dos elementos mágicos e conseguir ter sua família de volta? A resposta será revelada agora. Essa é uma história que inclui tudo que as crianças gostam: Bondade, bravura, amizade, mistério, amor fraternal e um final feliz, é claro!

A dublagem brasileira conta com nomes como: Larissa Manoela, João Guilherme Ávila e João Côrtes.

SHARE
Andreza Nunes
Nascida em Recife, jornalista por formação, adoro ensinar e trocar conhecimento. Acredito que o cinema é uma arte enriquecedora que pode promover reflexões, mudanças e propiciar a fuga da realidade.