Cobertura: Cine PE 2018 – Encerramento

A 22º Edição do Cine PE chegou ao fim na última terça-feira (05), foram dias com filmes plurais e que levantaram temáticas atuais integrando as Mostras Competitivas de Curtas Metragens Pernambucanos e Nacionais e a Mostra Competitiva de Longas-Metragens.

O documentário “Henfil” foi o grande vencedor da noite e, através de depoimentos, o longa buscou trazer para a atualidade as icônicas obras do cartunista e jornalista Henrique de Souza Filho, o Henfil, revelando sua forma de trabalhar com os desenhos, assim como a luta do artista hemofílico contra a sua doença.

“Os Príncipes”, de Luiz Rosemberg Filho, foi o que conquistou o maior número de prêmios, recebendo seis Calungas de Prata, o troféu do Cine PE, incluindo os de Melhor Atriz, Ator e Ator Coadjuvante, respectivamente para Patrícia Niedermeier, Igor Cotrim e Tonico Pereira.

O melhor curta nacional foi o falso documentário “Vidas Cinzas” de Leonardo Martinelli e já na mostra competitiva de curtas Pernambucanos, o premiado foi “Uma Balada para Rocky Lane”, dirigido por Djalma Galindo.

Confira abaixo a lista completa com os vencedores:

VENCEDORES DO FESTIVAL CINE PE 2018

MOSTRA COMPETITIVA DE LONGAS-METRAGENS

  • Melhor Filme – “Henfil”
  • Melhor Direção – Angela Zoé (“Henfil”)
  • Melhor Roteiro – Angela Zoé e Gabriela Javier (“Henfil”)
  • Melhor Fotografia – Alisson Prodlik (“Os Príncipes”)
  • Melhor Montagem – João Rodrigues e Indira Rodrigues (“Henfil”)
  • Melhor edição de som – Marcito Vianna (“Os Príncipes”)
  • Melhor Trilha Sonora – Gustavo Jobim (“Os Príncipes”)
  • Melhor Direção de Arte – Letycia Rossi (“Dias Vazios”)
  • Melhor Ator Coadjuvante – Tonico Pereira (“Os Príncipes”)
  • Melhor Atriz Coadjuvante – Carla Ribas (“Dias Vazios”)
  • Melhor Ator – Igor Cotrim (“Os Príncipes”) e Arthur Ávila (“Dias Vazios”)
  • Melhor Atriz – Patrícia Niedermeier (“Os Príncipes”)

MOSTRA COMPETITIVA DE CURTAS-METRAGENS NACIONAIS

  • Melhor Filme – “Vidas Cinzas”
  • Melhor Direção – Klaus Hastenreiter (“Não Falo com Estranhos”)
  • Melhor Roteiro – Rubens Passaro (“Universo Preto Paralelo”)
  • Melhor Fotografia – Ivanildo Machado (“Sob o Delírio de Agosto)
  • Melhor Montagem – Pedro de Aquino (“Vidas Cinzas”)
  • Melhor Edição de Som – Rafael Vieira (“Abismo”)
  • Melhor Trilha Sonora – Alexsandra Stréliski e Ludovico Einaudi (“Plantae”)
  • Melhor Direção de Arte – Rachel Oleksy (“Teodora Quer Dançar”)
  • Melhor Ator – Jurandir de Oliveira (“Abismo”)
  • Melhor Atriz – Mariana Badan (“Teodora quer Dançar”)
  • Menções Honrosas – “Marias”, “Plantae” e “Insone”

MOSTRA COMPETITIVA DE CURTAS-METRAGENS PERNAMBUCANOS

  • Melhor Filme – “Uma Balada para Rocky Lane”
  • Melhor Direção – Diego Melo (“Seja Feliz”)
  • Melhor Roteiro – Fabio Ock (“Seja Feliz”)
  • Melhor Fotografia – Henrique Spencer (“Frequências”)
  • Melhor Montagem – Marcos Buccini (“O Consertador de Coisa Miúdas”)
  • Melhor Edição de Som – Adalberto Oliveira (“Frequências”)
  • Melhor Trilha Sonora – Neilton Carvalho (“O Consertador de Coisas Miúdas”)
  • Melhor Direção de Arte – Lia Letícia (“Frequências”)
  • Melhor Ator – Heraldo Carvalho (“Edney”)
  • Melhor Atriz – Roberta Mharciana (“Cara de Rato”)

PRÊMIO DA CRÍTICA

  • Melhor Longa-Metragem – “Christabel”
  • Melhor Curta Nacional – “Abismo”
  • Melhor Curta Pernambuco – “Seja Feliz”

PRÊMIO CANAL BRASIL

  • Melhor Curta: “Universo Preto Paralelo” (SP)

Leia também:

SHARE
Andreza Nunes
Nascida em Recife, jornalista por formação, adoro ensinar e trocar conhecimento. Acredito que o cinema é uma arte enriquecedora que pode promover reflexões, mudanças e propiciar a fuga da realidade.