“Como Treinar o seu Dragão” é uma trilogia que teve a sua primeira exibição no ano de 2010, contando a história de Soluço, um viking que quebra o paradigma da sua cultura onde todos matam dragões, ao invés disso ele se afeiçoa por um, o Banguela, e juntos eles precisam provar que dragões e humanos podem conviver em paz e harmonia no mesmo local.

Crítica: Como Treinar o Seu Dragão 3

Já no segundo filme tudo parece fluir bem, pois Soluço tinha instaurado a paz e unido dragões e vikings na ilha de Berk, porém é então que surge um novo inimigo chamado Drago Sangue Bravo, disposto a roubar os dragões para formar um exército fazendo com que mais uma vez Soluço e Banguela se unam para impedir que a violência volte

Eis que no terceiro filme uma nova ameaça surge, fazendo a liderança de Soluço no vilarejo ser testada e colocando dragão e treinador lada a lado para salvar os cidadães de Berk.

O longa dirigido e roteirizado por Dean DeBlois levará ao fim a trilogia da Dreamworks Animation que se tornou uma das melhores animações da atualidade e não é à toa. E vou lhes dizer, porque:

  • Geralmente nas trilogias o primeiro filme é muito bom, mas o segundo deixa a desejar e o terceiro encerra com chave de ouro, ou em outros casos o segundo é melhor que o primeiro e o terceiro é mais fraco, enfim. Em “Como Treinar o Seu Dragão” temos três filmes muito equilibrados e que desenvolvem bem todos os personagens, principalmente o Soluço, que parece incompreendido o tempo todo, mas vai se descobrindo e amadurecendo. Vê-lo em sua jornada é interessante e emocionante, assim como Astrid que não grita empoderamento, ela simplesmente o exala de forma sutil, uma garota independente que sabe ser parceira, companheira, manter sua identidade e opiniões;

Crítica: Como Treinar o Seu Dragão 3Crítica: Como Treinar o Seu Dragão 3

  • Outro motivo é a amizade entre Soluço e Banguela. Trata-se de uma amizade entre homem e dragão que acompanhamos e nos apaixonamos independente de sermos adultos ou crianças e o filme coloca essa relação à prova em diversos momentos, nos fazendo torcer e nos emocionar;
  • Por fim, o filme é consagrado por nos ensinar a lidar com a perda de pessoas queridas, no primeiro temos o membro superior, no segundo o pai e neste terceiro eu posso dizer a vocês que se preparem para chorar pois todos nós passamos por processos de mudanças constantes em que precisamos nos separar de quem amamos, certo? Pois é, infelizmente…

Todo o design de animação é bem dinâmico, focando nos personagens mais conhecidos do público e nos que ainda não tinham sido muito bem trabalhados ainda. A novidade é a Fúria de Luz, um dragão lindo que torna-se o interesse amoroso de Banguela.

“Como treinar o seu dragão” tem uma trama simples, embarcada de seus ótimos personagens e traz reflexões preciosas sobre as relações humanas, elevando a trilogia ao nível máximo e atualizando as definições de fofura. É um filme que fará você se emocionar.

REVIEW OVERVIEW
Roteiro
9
Direção
10
Atuações
9
Direção de Arte
9
Direção de Fotografia
9
SHARE
Andreza Nunes
Nascida em Recife, jornalista por formação, adoro ensinar e trocar conhecimento. Acredito que o cinema é uma arte enriquecedora que pode promover reflexões, mudanças e propiciar a fuga da realidade.