O spin-off de “Onze Homens e um Segredo” está com força total desde que anunciaram as primeiras integrantes de seu elenco, que conta com grandes nomes do cinema, e juntas tornam o filme um deleite para os fãs dessas atrizes tão talentosas.

Elas são Sandra Bullock, Cate Blanchett, Anne Hathaway, Mindy Kaling, Sarah Paulson, Awkwafina, Rihanna e Helena Bonham Carter. Todas muito bem caracterizadas no longa, cada qual assumindo uma personalidade própria e autentica que completam um espaço dentro do grupo e fazem com que o plano siga perfeito.

Crítica: Oito Mulheres e um Segredo

Após passar mais de 5 anos na cadeia, Debbie Ocean (Sandra Bullock) planejou o maior roubo de sua vida. Ela sabe o que será preciso – uma equipe formada pelas maiores especialistas do ramo, começando por sua parceira no crime Lou Miller (Cate Blanchett). Juntas, elas recrutam: a joalheira Amita (Kaling); a golpista Constance (Awkwafina); a receptadora Tammy (Paulson); a hacker Nine Ball (Rihanna); e a estilista de moda Rose (Bonham Carter). O alvo: diamantes que valem nada menos do que 150 milhões de dólares e que estarão pendurados no pescoço da famosa atriz internacional Daphne Kluger (Hathaway), que será o centro das atenções no evento do ano, o Baile de Gala do Met. O plano é sólido, mas tudo precisa correr perfeitamente bem para que a equipe consiga entrar no evento e sair de lá com o prêmio.

Todas elas entregam atuações excelentes como sempre, mas o destaque acaba ficando em Debbie Ocean que carrega uma conexão com o irmão Danny do filme original e ainda é a responsável por recrutar as outras mulheres e conduzir o plano do assalto. Além dela, temos Anne Hathaway como a famosa atriz Daphne Kluger e a estilista em decadência, Rose Weil vivida por Helena Bonham Carter, que juntas protagonizam as cenas mais hilárias do filme.

O roteiro aposta em explorar ao máximo o elenco e toda a dinâmica que essas atrizes podem oferecer, portanto prepare-se para uma comédia intensa que flerta com os clássicos filmes sobre assalto e que ainda consegue reverenciar o propário glamour do mundo da moda no qual as protagonistas estão inseridas.

O diretor Gary Ross sabe trabalhar bem com o projeto, fazendo com que ele funcione como um spin-off e não dependa dos demais filmes da franquia, mas ao mesmo tempo ele consegue inserir pequenas referências e conexões que agradam os fãs, mas não comprometem o compreendimento de quem está conhecendo esse universo pela primeira vez.

Além disso, é comum que, trabalhando com um elenco muito forte, o diretor não consiga encontrar o tom adequado para que cada ator brilhe e funcione em sintonia um com o outro. O próprio exemplo de fracasso é o recente “Assassinato No Expresso do Oriente” (2017), que reuniu nomes como Penélope Cruz, Michelle Pfeiffer e Judi Dench em uma história da consagrada Agatha Christie, mas que terminou com todos ofuscados em meio a condução desastrosa. No entanto, felizmente, em “Oito Mulheres” acontece exatamente o oposto e tal como é vendido nos materiais promocionais, o filme não disfarça a sua intenção de agradar os fãs desses grandes talentos, mas faz isso de uma forma cuidadosa e caprichada.

Crítica: Oito Mulheres e um Segredo

A direção de arte é outro ponto de extremo bom gosto, afinal estamos falando de um filme no qual o grande ápice da história se passa no Met Gala, a premiação mais sofisticada e cobiçada do mundo da moda. Portanto prepara-se para acompanhar as nossas oito assaltantes transitando de disfarces cômicos até vestidos lindíssimos para conseguirem executar o grande plano.

Já a fotografia, por sua vez, traz muito dinamismo com planos abertos que contemplam o glamour das personagens e as interações entre elas, além de movimentos característicos de filmes de assalto que deixam tudo mais ágil e com um visual milimetricamente calculado.

“Oito Mulheres e um Segredo” é o filme que todos esperavam ver, um longa divertido e que reúne um elenco de peso para fazer algo que, até então, o cinema representava apenas com papéis masculinos. Mais do que isso, o filme termina como uma forte história sobre irmandade e amizade entre mulheres.


Trailer: