[crítica] Sobrenatural: A origem

imagem topo

Há quem diga que James Wan é o novo Gênio do terror contemporâneo, e sim, podemos afirmar que ele é, mas não só do terror, diria que ele é um especialista em gêneros. Creio que o filme que cair nas mãos dele será bem executado. Haja vista Velozes e furiosos 7 e quem sabe futuramente Aquamen.

James é a mente por trás de um dos grandes clássicos de terror da ultima década, Jogos mortais, e talvez por isso o primeiro filme da saga Insidious(2010) tenha sido tão aclamado e teve suas salas de cinema tão lotadas. E então três anos depois a história da família Lambert voltou ás telas em (Insidious chapter 2) e teve sua trama encerrada, repetindo o sucesso do primeiro filme.

O que mostrar então em um terceiro filme, James então resolveu optar por um prequel, a história então se passa antes dos dois primeiros filmes. O Hype talvez seja um dos maiores em cima de James afinal, James wan é o diretor do tão aclamado Invocação Do Mal, outra preciosidade do diretor que nos rendeu belos sustos em 2013.

Talvez por isso mesmo ele tenha sido chamado para gravar velozes e furiosos, não podendo dar continuidade a Sobrenatural: A Origem. Quem assumiu a direção então foi o  ator leigh whannell (Jogos mortais)

Saw-Leigh-Whannell

E o filme é bom?

Ai depende, se pararmos pra pensar, ele é desnecessário e como obra solta ele funciona bem, na minha humilde opinião esse filme é um tremendo caça níquel, mas um caça níquel que nos recompensa com uma obra de terror no mínimo boa.

Temos a protagonista Quinn (Stephanie Scott), uma menina LINDA, diga-se de passagem, que nos últimos dias vem se sentindo de forma estranha, como se alguém a estivesse vigiando.

insidious

Quinn resolve chamar Elise (Lin Shaye) esse é único ponto que liga esse aos outros filmes é a Elise, a senhorinha paranormal dos dois primeiros filmes, Enfim, Quinn pensa que as sensações são a sua mãe já falecida tentando fazer contato com ela, mas Elise reluta a contata-la por que afinal ela mesma diz:

“Quando você chama por um espírito, todos eles podem ouvir.”

Nossa protagonista leva uma vida um pouco difícil, cuidando de seu irmão e seu pai que depois da morte de sua esposa se tornou um homem cauteloso e um pouco mais protetor com seus filhos.

O sonho de Quinn é ser atriz, mas pelo visto ela não é uma das melhores já que e um de seus testes ela foi muito mal, nessa cena há a participação do próprio James Wan como parte do júri do teste.

Na saída do teste ela acaba sendo distraída por um homem estranho e então sendo atropelada no meio da rua, aí então vemos a protagonista tendo suas duas pernas quebradas.

image 2

Daí em diante, vemos Quinn tendo de lidar com as coisas estranhas que acontecem em sua casa, como batidas na parede que ela pensa ser seu vizinho, mas ela descobre que ele nem se quer está em casa.

Essa é uma das cenas em que não acontece nada, mas você de fato fica com a expressão mais tensa, imagine você estar se comunicando com alguém e de repente você descobre que a pessoa não está lá, tenso!

cena da parede

Sobrenatural: A origem, não é um filme ruim, mas também não dá para chama-lo de ótimo, bom é de fato um adjetivo que o descreve. As atuações até que são muito boas, Stefanie Scott com certeza brilha em todas as suas cenas, grande parte desse brilho vem da sua beleza, mas podemos dizer sim que ela tem talento.

Sustos com certeza serão garantidos, mas  esse filme não adiciona nada de novo á franquia, por isso acaba por ser mais um Caça niquel desnecessário, o ponto forte é que ele é bem executado, ao contrário de Annabelle, que foi um filme que todos queriam ver, mas acabou por ser muito mal executado.

O filme estreia no dia 30 de julho deste ano, e se você gosta de filmes de terror vale a pena sim dar uma conferida em Sobrenatural: A origem.

Trailer:

REVIEW OVERVIEW
Sobrenatural: A origem
SHARE
Apenas um cara vivendo entre palavras, imagens e sons dispostos em composição em uma tela