[Crítica] The DUFF

The DUFF é a adaptação cinematográfica do livro da autora Kody Keplinger, e de adaptação o filme não tem nada.

A trama é a seguinte, Bianca( Mae Whitman) uma garota de 17 anos descobre que ela é uma D.U.F.F.(Designated, ugly, fat, friend), mas o que é uma DUFF? Sabe aquela sua amiga(o) Feia(o) que ninguém da bola? Então é ela, e se você não sabe o que é uma Duff com certeza você é uma.

duff

Não vemos nada de novo no roteiro, que é muito preguiçoso por sinal, segue a mesma linha de Meninas Malvadas, e aborda os mesmos temas, Bullying na escola, com uma diferença, estamos na era da internet e tudo se espalha rápido e blá blá blá.

Toda aquela baboseira pra mostrar que o roteiro é atual.

E de fato, o roteiro, que é da própria Kody, é bem atual, são muitas as piadinhas irônicas sobre visualizações no You Tube ou sobre amizade e redes sociais, uma piada bem escrachada e completamente irônica é a hora em que Bianca, deleta suas amigas de todas as redes sociais, como se isso fosse o que determinasse uma amizade de verdade.

o filme se coloca em uma linha bem no meio, do que seria uma critica aguda ao ciberbullying e ao que seria um clássico besteirol , o ponto positivo é que o elenco é muito bom, Mae é uma atriz promissora, muito bem lembrada por As vantagens de ser invisível, e Robbie Amell que é primo do Stephen Amell de Arrow, também está ótimo no papel do cara bombado e popular.

A personagem Bianca é bem parecida com Mary sua personagem em As vantagens de ser invisível, ela é inteligente e falastrona, e com certeza pode te arrancar boas risadas, mas só isso.

Agora, de adaptação o filme não tem nada, a não ser o nome dos personagens, o livro The DUFF, é com certeza muito mais ousado e contundente do que o filme, tem muitas cenas de sexo no estilo “ amizade colorida”.

bella1

Bella Thorne ( Shake it up) faz o papel de Madison, a “Mean girl” da trama, que no livro nem existe, mas ela funciona bem como vilã.

O filme ainda tem um erro que passa até desapercebido, Bianca leva Wes ( Robbie Amell) até seu “lugarzinho especial” uma pedra onde ela reflete seus dramas, enfim, eles se beijam, que é um ponto chave para a trama, e na cena seguinte, aparece uma garota, toda esgueirada no mato, filmando a cena, só que, essa garota some do filme e nunca mais aparece,.

Você fica pensando “ah, agora ela vai lá postar no you tube pra arruinar a vida da outra”, mas não, ela some.

É um erro bem idiota, mas demonstra um certo “desleixo” com o filme.

No geral, é uma boa comédia, dá pra passar aquela 1h40 dando algumas risadas, mas não espere nada mais do que isso, o roteiro é batido e se você leu o livro saberá o quanto a adaptação é ruim.

 

Trailer do filme:

 

REVIEW OVERVIEW
The DUFF
SHARE
Apenas um cara vivendo entre palavras, imagens e sons dispostos em composição em uma tela