A versão live-action de A Bela e a Fera é um deleite visual, a história já conhecida ganha nova visão a cada adaptação, e parte desse novo olhar é de responsabilidade do figurino. Apesar de se manter fiel ao que já havia sido mostrado na animação de 1991, a figurinista Jacqueline Durran conseguiu incorporar ao guarda-roupa de cada personagem peças tão ricas em detalhes que tornaram o filme uma realidade e um estímulo a interpretação de cada ator.

As vestimentas de Bela (Emma Watson), com certeza, eram as mais esperadas, talvez isso se deva a popularidade do vestido amarelo usado na famosa e aguardada cena da valsa com a Fera. Apesar de lindíssimo o vestido deixou o fator surpresa para os demais figurinos do filme, isso porque ele já havia sido mostrado em toda a divulgação, mesmo assim trouxe ao longa importantes considerações. Emma colaborou com a figurinista em sua criação e feminista que é, abriu mão do espartilho em prol da liberdade da personagem, o vestido segundo o ator Dan Stevens, intérprete da Fera, foi criado por sua filha de cinco anos que desenhou várias opções para que Emma escolhesse o vestido ideal.

Ainda falando da Bela, o destaque vai para seu visual do dia-a-dia, com uma composição de peças práticas que se transformam, propondo algo nunca antes pensado para uma princesa. Logo no início do filme percebemos que o figurino da protagonista não a limita e permite que ela erga a saia e deixe o calção de baixo a mostra, assim ela pode andar a cavalo e caminhar pela cidade livremente. A riqueza dessas peças mais simples está na mistura de estampas e nas combinações diferentes que seu guarda-roupa de apenas seis peças oferece, isso como explica Jacqueline acontece porque: “[…] nós mesclamos algumas peças de cada combinação em cenas diferentes. Uma hora ela vai usar uma saia do look 1 com a jaqueta do look 2, por exemplo”.

A personagem ganhou ainda um outro vestido para a cena final de A Bela e a Fera. O vestido foi inspirado nas vestimentas do século 18 e lembra o efeito da aquarela com estampas de fitas e flores em tons pastel.

Para a Fera e os demais serviçais do castelo é a associação à natureza de cada personagem que dita os detalhes das peças. O casaco usado pela Fera durante a dança foi feito em veludo azul marinho, e é todo bordado com fios de ouro: “Para criar a Fera, a equipe de produção de design se inspirou em vários animais diferentes, então pegamos essas pesquisas deles e bordamos vários destes animais no casaco”, explicou Jacqueline. Os figurinos do personagem foram criados física e digitalmente: “O figurino da Fera teve que ser criado fisicamente para que a equipe de efeitos especiais pudesse captar os movimentos das roupas com pessoas reais, para só então recriá-las no computador e colocá-las nas cenas” explicou a figurinista.

As roupas dos funcionários do castelo trazem elementos dos objetos em que eles se transformam: “O tecido do vestido da Madame Potts (Emma Thompson), por exemplo, conta com uma estampa idêntica a dos padrões do bule”, enquanto Horloge (Ian McKellen) tem um casaco com botões que apresentam números de 1 ao 12 assim como o relógio.

Gaston, por sua vez, possui um guarda-roupa enxuto, com apenas três combinações, mas o que chama a atenção assim como o personagem que representa é que: “Todos os looks de Gaston têm muito couro, porque ele é um caçador”. Associando mais uma vez o personagem com sua natureza.

O mais incrível desse figurino é que Jacqueline Durran trabalhou a versatilidade de um guarda-roupa inteligente mesclada a detalhes da construção dos personagens sem esquecer a referência principal da animação. E o mais importante, a equipe de Durran se propôs a criar figurinos éticos e sustentáveis a partir de tecidos ‘fair trade’ (ou seja, que utiliza materiais orgânicos de fornecedores que remuneram seus funcionários com um salário justo e levam o meio-ambiente em consideração), objetivo esse que foi alcançado. O departamento trabalhou ainda em conjunto com a Eco Age e a Green Carpet Challenge utilizou tintas naturais e de baixo impacto (descartando com cuidado toda e qualquer água residual). Um trabalho nobre em todos os aspectos.

Confira o vídeo sobre o figurino divulgado pela Disney:

SHARE
Juliana Schmidt
Sou do tipo que chora em filmes, séries e livros, por isso mesmo me considero uma apaixonada. Reparo em coisas que pouca gente presta atenção como figurinos, cenários e trilhas sonoras.