“Eu Sei O Que Vocês Fizeram no Verão Passado” foi lançado em 1997 exatamente um ano após “Pânico”, e tanto pela época quanto pelo fato de terem o mesmo roteirista contribui para que seguisse a tendência iniciada com o filme de Wes Craven, de forma semelhante, mas que ainda trazia muito charme próprio e renderam várias continuações, algumas ótimas, outras nem tanto, mas vamos nos ater aos fatos ao redor da primeira produção.

“Eu Sei O Que Vocês Fizeram no Verão Passado” tem a mesma premissa de seu livro, onde um grupo de amigos atropela sem querer um estranho na estrada e somem com o corpo com medo do que poderia lhes acontecer, e a partir daí decidem manter segredo sobre o ocorrido, no entanto tempos depois recebem mensagens assustadoras de alguém que parece saber sobre o que havia ocorrido com eles no último verão.

A produção baseada no livro de Louis Duncan ajudou a popularizar esse subgênero de terror adolescente de um grupo de jovens amigos unidos pela sobrevivência que devem fazer de tudo para entender quem é o assassino e o mais importante como ficarem vivos até o final, com um elenco estrelado por nomes carismáticos como Freddie Prinze Jr, Sarah Michelle Gellar, Jennifer Love Hewitt e Ryan Phillippe o primeiro longa fez história contando ainda com a direção de Jim Gillespie com fortes inspirações no trabalho de Craven, e com uma trilha impactante de John Depney junto de uma Direção de Fotografia que faz falta no terror adolescente atual, com ângulos, movimentos e o bom uso do cenário e do suspense para criar-se o clima da obra. Esse se tornou um grande sucesso de bilheterias arrecadando 125 milhões sendo que gastou apenas 17 milhões tornando-se um ícone do gênero e um dos grandes clássicos da década de 90.

O impacto que teve no cinema foi muito grande o que gerou filmes como “Premonição” e permanece até os dias de hoje em séries como “Scream”, que se inspirou para seu recente especial de Halloween, muito disso se deve ao seu icônico vilão, pois é comum em obras slashers termos alguma figura clássica com um visual carismático ou de personalidade forte, vide Jason Vorhees, Freddy Krueger e Ghostface, o maníaco aqui vem da famosa lenda urbana do “Homem do Gancho” que possui roupas de chuva de pescador, sempre cobrindo o rosto e segurando um gancho em uma mão, arma essa que usa em suas vítimas.

O elenco era muito agradável e cheio de carisma pois tínhamos atores em ascensão na época, Freddie Prinze Jr que depois acabou conhecido por interpretar Fred em “Scooby-Doo” (2002), Sarah Michelle Gellar que no mesmo ano do lançamento havia começado a estrelar a série “Buffy” (1997), Ryan Phillipe que depois de um tempo trabalhou no clássico “Segundas Intenções” (1999) e hoje está na série “O Atirador” (2007), e Jennifer Love Hewitt que estrelou séries como “The Client List” (2012) e “Ghost Whisperer” (2005), poucas produções do gênero nessa década tiverem um elenco tão bem escalado e talentoso.

Há princípio não se percebeu sua força, algo que só foi visto tempos depois quando houveram produções como “Lenda Urbana” (1998), “Premonição” (2000) e “ A Prova Final” (1998), grandes filmes de terror para adolescentes que só surgiram graças a popularização gerada por “Eu Sei O Que Vocês Fizeram no Verão Passado”, que com um roteiro, elenco, direção e trilha se tornou uma obra que merece ser assistida e relembrada assim como sua primeira sequência, importante também lembrar que em breve veremos um reboot do primeiro filme da série e poderemos enfim ver o retorno desses incríveis personagens atormentados pelo temível gancho do vilão nas telonas.

Confira também:

SHARE
Otávio Renault
Nascido em São Joaquim da Barra interior de São Paulo, sou um escritor, cineasta, fotógrafo, desenhista e autor na Cine Mundo, além de um cinéfilo fã de Quentin Tarantino, J.J. Abrams, Neil Gaiman, viciado em séries e leitor de quadrinhos/mangás.