Os 10 PIORES filmes de 2017

2017 foi um ano de grandes filmes e muitos sucessos no cinema, mas também foi um ano que amargou fracassos, decepções e muitas produções que não atenderam às expectativas e entregaram filmes lamentáveis para o público. Nós da Cine Mundo listamos os piores entre todos os inúmeros lançamentos, para que vocês saibam de quais produções devem manter distância.

Veja a lista abaixo:

1. A Noiva

Poucos filmes são capazes da proeza de errar em todas as áreas possíveis, mas esse terror russo conseguiu esse péssimo feito. Direção de fotografia confusa, trilha sonora que não combina, atuações canastronas, roteiro fraco e ainda recheado de “defeitos especiais”. Essa é uma obra que não merece nem o Framboesa de Ouro de tão ruim que é. Faça um favor a si mesmo e fuja desse filme.

 

2. Olhos Famintos 3

Tem produções que destroem uma franquia, mas essa aqui destruiu toda uma curiosa e carismática mitologia de monstro. 23 anos após o primeiro filme, uma força-tarefa recheada de atores canastrões se reúne para caçar o monstro, que agora tem um caminhão com poderes sobrenaturais (sim, isso mesmo), e claro, pra completar ainda temos o novo elenco jovem que está terrível. Quanto a parte técnica somos atropelados por enquadramentos confusos, efeitos da pior qualidade e um roteiro que em nenhum momento faz sentido, um filme digno do SyFy, mas um pouco pior.

 

3. Pica-Pau – O Filme

Havia uma pequena expectativa de que eles não estragassem o nosso amado Pica-Pau, personagem icônico da infância de muitos. No entanto, esse é um filme ultrajante, sem nexo e que poderia ter saído de uma péssima sessão da tarde que você já deve ter tido o desprazer de ver, com direito a efeitos péssimos, nada faz sentido, desde as atuações até o roteiro medíocre. Não recomendado nem ao seu pior inimigo.

 

4. LEGO Ninjago – O Filme

“Uma Aventura LEGO” e “Batman LEGO” foram um sucesso tanto de público, como de crítica, e foi aí que o estúdio resolveu diversificar e se expandir com “Lego Ninjago: O Filme”. Era para seguir a linha de mensagens positivas para as crianças e sátiras de filmes para os adultos, mas tudo que entregaram foi uma produção vazia, com piadas que não tem graça alguma, sem o menor carisma e que não conseguem empolgar nem mesmo as crianças. Essa é uma grande decepção para uma marca que vinha se consolidando como uma das mais fortes do mercado até esse lançamento horrendo.

 

5. Transformers: O Último Cavaleiro

Possuíamos até que boas expectativas com o novo Transformers, os trailers vendiam a ideia de uma conclusão e releitura do universo, ou seja, tudo o que eles precisavam. Porém, sem a menor continuidade de cenas, sequências de humor trash, trama confusa e arrastada, além de muitas atuações abaixo do esperado, esse longa passa longe do aceitável. Esperemos que “Bumblebee”, que trilha outro caminho e com outra equipe, possa ressuscitar essa marca tão desgastada.

 

6. Lino – Uma Aventura em Sete Vidas

Essa era a chance do Brasil emplacar uma produção animada com visual carismático e potencial para sucesso, mas não foi bem por aí que a história caminhou. Tá, o visual é ok, bonito e lembra a técnica americana para animações 3D, mas cadê o roteiro e a direção? Parece que faltou uma revisão para lapidar o texto e inserir um foco conciso em sua narrativa. Lino não se decide se quer promover reflexões ou se só quer fazer rir, errando nas duas coisas. Infelizmente, essa é uma experiência dolorosa para crianças e adultos.

 

7. O Chamado 3

Prepare-se para ver uma franquia criativa e ousada ser levada ao fundo do poço. Vincent D’Onofrio até tenta, mas não é suficiente para salvar essa produção. Com uma fotografia desconexa que lembra um romance sci-fi, mas em nada combina com terror, além de escolhas bizarras que tornam o filme cada vez mais trash, é melhor ficar com os filmes originais da franquia e passar longe desse.

 

8. O Espaço Entre Nós

Quem não gosta de um bom romance indie alternativo? Pois é, quando é bom. Não é esse o caso aqui, “O Espaço Entre Nós” é um filme arrastado, repleto de atuações fraquíssimas e automáticas, desperdiçando o tema tão interessante do relacionamento à distância e ainda falhando no principal foco de um romance; a química entre os atores. Quando um romance erra aí, ele se torna intragável.

 

9. Baywatch: S.O.S. Malibu

Juntar Dwayne “The Rock” Johnson e Zac Efron na nova versão de Baywatch cheia de ação e humor para maiores de 18 anos, parecia uma ótima ideia, infelizmente só parecia mesmo. O diretor não soube dirigir a ação, o roteiro é fraco e não funciona, a química entre Efron e Johnson está abaixo do esperado e apenas uma meia-dúzia de piadas funcionam como deveriam, além disso, não tem como esquecer dos efeitos em CGI terríveis, dignos de um “Sharknado”. Baywatch merecia mais e seu público também.

 

10. A Múmia

A nova versão do clássico de terror tinha a missão de estabelecer o universo compartilhado dos filmes de monstro da Universal, mas com personagens rasos e mal desenvolvidos, um Tom Cruise com um senso de humor que não casa com a produção e uma direção de fotografia confusa que causa enjoo, esse filme em vez de estabelecer o universo, contribuiu para que o afundasse totalmente.

SHARE
Otávio Renault
Nascido em São Joaquim da Barra interior de São Paulo, sou um escritor, cineasta, fotógrafo, desenhista e autor na Cine Mundo, além de um cinéfilo fã de Quentin Tarantino, J.J. Abrams, Neil Gaiman, viciado em séries e leitor de quadrinhos/mangás.