Os 7 MELHORES filmes de terror de 2017

Esse ano foi muito rentável para o gênero de terror, me surpreendendo em muitos pontos e também me desagradando em outros, mas essa lista abaixo vai selecionar somente os melhores filmes de terror 2017. Portanto, já podemos esquecer os fracassos, “Leathefarce” e “Olhos Famintos 3”, além de outros títulos medianos como “7 desejos” “Amityville: O Despertar”. Dito isso, confira a nossa lista:

1. IT- A Coisa

“IT- A Coisa” é uma adaptação de uma obra de Stephen King, que ganhou uma versão televisiva em 1990, e inclusive, inspirou uma das séries mais assistidas da Netflix, “Stranger Things”. O filme deste ano é um dos melhores do gênero, pois sabe trabalhar com os medos reais das crianças, se apropriando de situações tão cotidianas vivenciadas pelas antigas e novas gerações, reforçando a importância da amizade, além de respeitar o livro de King. O longa ainda conta com um elenco carismático, no qual todos parecem estar na mesma sintonia, sem contar com a atuação de Bill Skarsgård que não deixa absolutamente nada a desejar e eleva o terror a uma qualidade tão suprema.

 

2. Corra!

“Corra!” é um terror psicológico que deu o que falar, pois levantou diversas questões sobre racismo e tratou desse tema envolvendo o gênero terror, sem apelar para o exagero, não é uma tarefa fácil, mas o roteiro conseguiu trazer uma história interessante e que deixará você vidrado do começo ao fim. O desfecho é assustador, e a quantidade de debates que ele rende é surpreendente. Inclusive, fomos convidados pelo Clube do Medo PE, para dialogar sobre esse longa e a conversa resultou em uma ótima discussão, na qual as pessoas puderam compartilhar, não apenas as questões técnicas, mas também a sensação que tiveram com esse longa. Ao assistir “Corra!” eu tive a impressão de ingerir algo muito pesado e não conseguir fazer uma boa digestão, dessa forma refleti sobre a minha conduta como pessoa e fiquei muito orgulhosa de Jordan Peele ter elevado o terror e trazido um dos melhores longas dessa geração, que é tão atual nesse mundo desigual e injusto, no qual estamos inseridos.

 

3. Annabelle 2

Quem diria que “Annabelle 2” estaria em terceiro lugar nessa lista?! Mas calma que eu vou explicar as razões.

Confesso que eu tenho uma paixão por todo o trabalho do James Wan, e apesar de ter consciência que a sua carreira possui pontos fortes e fracos, o seu talento é inegável, afinal é um universo de terror próprio que ele está criando, né amigos? No caso de Annabelle é um dos poucos filmes em que a sequência consegue ser melhor que o primeiro, e ainda fazer uma ótima conexão com o anterior, diferente de outras histórias do gênero que tentam contar a origem do vilão e acabam falhando de forma drástica. É claro que tem vários clichês, mas eles conseguem assustar, além da carga dramática que ergue muito a qualidade da trama. Por fim, a direção de David F. Sandberg mostrou que com um bom diretor orientado por James Wan podemos ter um filme digno para a boneca Annabelle.

 

4. Fragmentado

Um diretor que eu também admiro muito é o M. Night Shyamalan, e esse seu novo trabalho promete iniciar um novo universo que se conecta com “Corpo Fechado” (2000) e já tem uma continuação garantida para o próximo ano. No caso de “Fragmentado” ele conseguiu me deixar sem ar, e trazer enquadramentos que brincam com as minhas sensações, me deixando ansiosa para saber o que ia acontecer em seguida. No entanto, o longa não deveria ter prometido tantas personalidades e poderia ter focado apenas em algumas, esse foi um ponto que me incomodou. No quesito atuação, acredito que James McAvoy merecia, no mínimo, uma indicação ao Oscar e Anya Taylor-Joy apenas confirmou que é uma das melhores atrizes dessa geração.

 

5. A Morte te Dá Parabéns

Quando eu penso neste filme me vem à mente a palavra ousadia, afinal contar a morte de uma personagem de diversas formas diferentes e fazendo com que ela reviva o mesmo dia várias e várias vezes pode dividir opiniões, e foi exatamente isso que aconteceu. Muitos que estavam na minha sessão falaram bem do filme e outros simplesmente detestaram, porém a ideia de trazer suspense e humor com elementos de terror e referência aos filmes clássicos dos anos 90, me agradou e muito. A produção se adéqua as características da época e consegue criar um clima nostálgico, além de ter uma ótima protagonista interpretada por Jessica Rothe.

 

6. Ao Cair da Noite

“Ao Cair da Noite” é o cinema independente em sua forma mais pura, falando sobre seres humanos e como eles se comportam diante de uma situação atípica em que seu instinto de sobrevivência tem que ser aflorado para proteger seus entes queridos e as outras pessoas ao seu redor. O filme é tão humano, que chega a dar medo e ser agonizante, pois até onde somos capazes de ir para nos proteger? Alguns devem achar o longa monótono, enquanto outros podem aguçar a sua sensibilidade e ver além de mim. É um filme bem diferente do gênero e aborda diversas questões perturbadoras como os medos internos, paranoias e o extremismo.

 

7. O Rastro

Que alegria poder colocar um filme de terror brasileiro nessa lista! É claro que ainda tem muito o que melhorar, mas mesmo assim, “O Rastro” é um grande passo para os filmes de terror nacionais, principalmente por ser uma história original que se mistura à realidade de nosso país. No entanto, um dos pontos baixos do longa é o áudio que oscila muito e o jogo de câmeras, que por vezes tenta ser inovador e acaba se atrapalhando na hora de transmitir a mensagem da cena. Ainda assim, o cenário real do hospital acabou sendo eficiente para a trama e agregou muito na hora de construir o clima de tensão, além disso, os personagens são interessantes e conseguem nos fazer torcer por eles.