“Arquivo X” retornou com a sua nova temporada no canal Fox dando continuidade aos eventos finais do último ano, aquele que trouxe de volta a amada série de mistério, terror e sci-fi para os dias atuais e dividiu o público com seus altos e baixos.

O ano anterior apagou o amargo gosto das últimas temporadas da série, restabeleceu elementos clássicos e caminhou para um novo tom de conspiração que contextualiza com casos atuais como o de Wikileaks, novos monstros e explorando mais da relação entre Scully e Mulder.

Nesse primeiro episódio, Mulder precisa encarar uma caçada ao Canceroso, icônico vilão da série que ele acreditava estar morto. Ao mesmo tempo, a humanidade está com seus dias contados e Scully é atormentada por visões de um futuro relacionadas à Mulder, seu filho e o Canceroso, cabendo ao agente Fox Mulder descobrir uma maneira de agir e impedir que esses eventos se concretizem.

O episódio é bem estruturado do início ao fim com o grande destaque ficando por conta do Canceroso, aqui descobrimos muito mais de seu passado, mas ainda certos enigmas são deixados para o desenrolar da temporada. Além disso, revemos Scully em um estado de grande desequilíbrio mental devido às suas visões, tudo isso culmina em grandes e chocantes reviravoltas ao final do capítulo.

Já no segundo episódio exibido, temos o retorno do arco dos Pistoleiros Solitários, que haviam se despedido de forma gratuita no passado da série, e agora Mulder está cara a cara com eles, em uma trama que fala sobre realidades virtuais e sobre o novo mundo polarizado entre várias inteligências governamentais diferentes.

Ainda seguindo o clima de perseguição e adrenalina, temos um episódio que brinca muito com o mundo atual, insere fanservices na medida certa com Os Pistoleiros Solitários e, com um enredo sci-fi digno de Doctor Who, a série reintroduz os questionamentos com situações científicas e absurdas enfrentadas pela dupla de detetives.

Os atores continuam ótimos, os conflitos entre Skinner e Mulder não seriam tão bons se não fosse David Duchovny e Mitch Pileggi com sua ótima química, no entanto Gillian Anderson é o maior destaque do episódio, junto do vilão Canceroso, seja pelos conflitos emocionais trazidos por Anderson ou pela imponência sombria do ator William B. Davis ao encarnar mais uma vez um dos personagens mais marcantes que já passou pela TV.

A direção continua certeira levando os telespectadores a viajarem pelo passado e o nosso assombroso presente, lidando com diferentes situações em dois episódios envolventes e surpreendentes que farão a alegria dos fãs que tanto esperaram por essa temporada.

Ambos os episódios retomam o clima da produção com muito carisma e suspense. A sensação dos personagens estarem encurralados por forças sinistras e o embate diário deles com o inimaginável voltou com força total, ao mesmo tempo em que a série ainda se atualiza com o contexto moderno e demonstra aos poucos retornar com o aspecto de mistério e terror que tornou “Arquivo X” um grande clássico da televisão e da ficção científica

Arquivo X é exibido todas as quartas-feiras, às 23h, no canal Fox.

REVIEW OVERVIEW
Roteiro
8
Direção
10
Atuações
10
Direção de Fotografia
8
Direção de Arte
8
SHARE
Otávio Renault
Nascido em São Joaquim da Barra interior de São Paulo, sou um escritor, cineasta, fotógrafo, desenhista e autor na Cine Mundo, além de um cinéfilo fã de Quentin Tarantino, J.J. Abrams, Neil Gaiman, viciado em séries e leitor de quadrinhos/mangás.