Após tanta espera os fãs de Dragon Ball enfim tiveram suas preces atendidas, pois agora Dragon Ball Super chegou oficialmente ao Brasil com os dubladores clássicos retornando para seus icônicos personagens no Cartoon Network.

Para aqueles que desconhecem a obra, Dragon Ball foi um mangá de 1984 que gerou uma continuação chamada de Dragon Ball Z, ambos foram adaptados para anime, logo depois Dragon Ball GT deu continuidade as história, e apesar de não ter agradado a maioria, todos esses animes e mangás juntos formaram legiões de fãs pelo mundo, após muito tempo o anime voltou pelas mãos de seu criador em dois ótimos filmes, “Dragon Ball Z: A Batalha dos Deuses” e “Dragon Ball Z: O Renascimento de Freeza”, ambos reconquistaram o público e mostraram a força do anime, fazendo com que uma nova série animada fosse produzida em 2015, chamada de “Dragon Ball Super” que está atualmente no Japão no episódio 102.

Na trama, após derrotarem Majin Boo e a paz voltar à Terra, Son Goku trabalha como agricultor para sustentar sua família, entretanto Bills, o deus da destruição está vindo para o planeta pois está ansioso para lutar contra o Deus Super Sayajin, um lendário guerreiro que ele viu em um sonho profético.

No último sábado foram exibidos 5 episódios seguidos que englobam o início do primeiro arco de Bills que reconta o primeiro dos novos filmes dos guerreiros Z, com certas diferenças e com mais tempo para desenvolvimento de humor, personagens e logicamente, as batalhas.

Dito isso falemos do elemento que gerou polêmica, o design, que buscou se aproximar dos novos filmes trazendo muito da essência do mangá, são fluidos e dinâmicos e com uma pós-produção atual que adiciona textura aos personagens, entretanto em determinados episódios percebe-se falhas (um problema atual visto em produções da Toei), tanta em anatomia como em movimentos de ação, o que pode afastar algumas pessoas.

O arco, contudo, se mostra um dos grandes acertos e passa a compensar os defeitos da obra, afinal resgata o humor inocente do Dragon Ball e o mistura com as lutas e o universo complexo e alienígena de Dragon Ball Z, apesar de adquirir certas características místicas (um ótimo traço do primeiro que parece ganhar destaque).

Nesses primeiros episódios somos bem situados sobre como se encontra o mundo após a batalha de Majin Boo de DBZ, e de como estão vivendo cada um dos heróis, com foco especial em Goku e Vegeta, em seus habituais treinamentos, e pequenos arcos de humor de Trunks e Goten que simulam um pouco das situações vividas por Kuririn e Goku no anime de 1986, paralelo a isso vemos a ameaça crescente de Bills e Whiz se aproximar da Terra.

O foco acaba sendo muito mais em apresentar e reafirmar seus personagens. A dublagem funciona perfeitamente assim como os animes antecessores, adaptando muito bem jargões e situações para o público brasileiro e traz as vozes conhecidas de todos como de: Wendel Bezerra (Goku), Alfredo Rollo (Vegeta), Vagner Fagundes (Gohan), Tania Gaidarj (Bulma), Luiz Antonio Loub (Piccolo) entre vários outros que surgem em ótimas personificações de seus personagens consagrados e amados pelos fãs.

Dragon Ball Super faz assim um ótimo retorno à TV brasileira, mesmo com erros de produção ele acerta em cheio no tom, ritmo, nostalgia e humor e mesmo que estejamos a muitos episódios atrás do Japão, o anime ainda arrancará suspiros e gargalhadas do público, afinal assistir um anime amado como esse dublado é completamente diferente, devemos agradecer Cartoon Network pela atitude, pelo jeito esse é um período ótimo para ser um nerd.

REVIEW OVERVIEW
Roteiro
8
Direção
8
Atuações
10
Direção de Fotografia
7
Direção de Arte
7
SHARE
Otávio Renault

Nascido em São Joaquim da Barra interior de São Paulo, sou um escritor, cineasta, fotógrafo, desenhista e autor na Cine Mundo, além de um cinéfilo fã de Quentin Tarantino, J.J. Abrams, Neil Gaiman, viciado em séries e leitor de quadrinhos/mangás.