[Crítica] Carrie A Estranha (2013)

O texto contém alguns spoilers se possível leiam depois que assistirem o filme
Carrie a Estranha é um remake do clássico filme de 1976 que foi baseado em um romance do escritor americano Stephen King, o filme original fez muito sucesso ao ponto de ganhar um remake em 2002 tal remake que foi muito bom, sendo assim um segundo remake acaba por ser desnecessário e talvez até arriscado, porem Kimberly Pierce ousou e apostou nesse segundo remake com um elenco maravilhoso e efeitos especiais de ponta o resultado foi ótimo.

O filme conta a historia de Carrie uma garota com poderes especiais que possui uma vida difícil, sua mãe é uma fanática religiosa e educa Carrie da maneira mais severa possível, na escola Carrie tem um comportamento regrado e religioso e assim se diferenciando das de mais garotas sendo então uma vitima de Bullying a situação começa a se agravar cade vez mais ate que na noite do baile de formatura Carrie resolve passar por cima de todos os princípios  impostos pela mãe e ir ao baile para que mesmo por um dia ela possa ser vista como um garota comum, porem as coisas se complicam quando uma das garotas resolve humilhar Carrie na noite que deveria ser perfeita, esse foi o maior erro que Chris Hargemsen (Portia Doubleday) poderia cometer e como tudo tem um limite, Carrie chega ao seu e sem uma gota de piedade ela transforma a noite do baile em um pesadelo.

Quando vi o trailer a primeira coisa que veio a minha cabeça foi “Nossa essa protagonista é linda como vão fazer ela ser zuada” bom nesse momento eu lembre que o Stephen King descreve Carrie como uma garota maltratada, mal vestida e não feia, também lembrei de que não são só pessoas feias que sofrem de Bullying muito pelo contrario as garotas mais bonitas geralmente são um dos principais alvos a partir do momento em que elas não seguem os padrões impostos pela sociedade e essa foi a ideia traga pelo remake. Outro problema desse filme é que é muito difícil você trabalhar esse drama complexo em 100 minutos, tendo em vista que ela é basicamente divida em três momentos:
1º O Drama da protagonista que vai desde o bullying na escola ate os maus tratos em casa, nesse momento o telespectador precisa conseguir de uma certa forma sentir o drama vivido pela personagem coisa que se torna simples em um longo livro, mas que em um curto filme não é tarefa fácil por conta disso essa responsabilidade fica totalmente em cima da atriz que interpreta Carrie, e Chloë Grace Moretz fez isso muito bem a jovem atriz conseguiu dar conta dessa responsabilidade e fez bonito, conseguiu passar a imagem de garota inocente e assustada muito bem.
2º Esse segundo momento é quando Carrie chega a seu limite e começa a destruir todo o baile, esse momento depende totalmente do primeiro pois você precisa sentir o que está sendo passado e mais do que isso, você precisa compreender bem o motivo da vingança e de uma certa forma apreciar aquele momento de destruição que nesse remake fez um alto uso de efeitos especiais ao ponto de parecer um dos filmes dos X-men, novamente Chloë se destaca quando começa a interpreta perfeitamente bem a Carrie versão vingativa, você consegue perceber o ódio e o prazer nos olhos da atriz e isso é fantástico.
3º Essa terceira e ultima parte é o momento pós vingança ou seja quando ela volta para casa toda ensanguentada e se encontra com sua mãe e também o que muitos ficam curiosos o que ela faz agora??
nesse momento vemos Carrie voltando ao seu estado inocente e assustado tendo novamente um grande destaque para a atuação de Chloë junto de sua mãe Julianne Moore que também teve uma atuação impecável, passando toda a loucura da personagem.
Notas:
*Achei super legal a introdução do Cyberbullying nesse Remake.
*Os três ângulos usados na queda do balde de sangue foram desnecessários e isso me incomodou, bastava um ângulo que pegasse bem a cena.
*Será que o remake de um filme com essa temática seria de fato desnecessária, visto que o bullying hoje é algo muito praticado nas escolas e até mesmo em casa um filme que traz todo esse drama acaba também fazendo uma critica a sociedade que impõem padrões cruéis a serem seguidos.
*O filme lembra muitos casos recentes que ocorreram em vários países onde as vitimas de bullying chegam aos seus limites e reagem de uma forma agressiva tendo finais trágicos tanto para os agressores quanto para a vitima que em muitos casos assim como Carrie tendem a cometer suicídio após o atentado.
Nesse filme eu fiz o que eu sempre aconselho a todos, liguem o computador assistam os trailers das estreias e escolha um filme para assistir depois que você for ao cinema assistir e tiver sua opinião formada ai sim você poderá pesquisar mais sobre a produção,elenco e ler as criticas. logo após eu ter assistido o filme e ter adorado fui pesquisar mais sobre o mesmo, Chloë vem se mostrando melhor atriz em cada filme que faz, a sua atuação em kick Ass foi impecável e em Carrie não foi diferente o mesmo vale para Julianne Moore que fez a perfeita mãe louca. Em fim o que estou lendo por ai são expectativas do tipo: Elenco fantástico + Cineasta excelente + Obra do grandioso Stephen King  = filme fantástico, revolução da sétima arte, uma das sete maravilhas do cinema. Conclusão acho que qualquer um que senta na poltrona do cinema com essas expectativas vai se decepcionar não acham?? afinal você sempre vai esperar mais…
Nota: 7,5
Carrie A Estranha estreou nessa sexta-feira 06/12.
Confiram o Trailer:
SHARE
Guilherme Soares
Criador e editor da Cine Mundo, diretor, roteirista e crítico de cinema. Viciado em séries, com um carinho especial pela eterna Six Feet Under e Buffy The Vampire Slayer.