Título: Drive

Autor: James Sallis

Gênero: Romance

Número de páginas: 160

Editora: Leya

 

A minha história com esse livro é engraçada, minha mãe comprou o filme e juntou todo mundo na sala pra assistirmos, fez pipoca e tudo mais, esse é sempre o programa em família. Logo no começo fiquei encantada com o enredo, os personagens e principalmente com a solidão que emana do Piloto, não que isso seja um problema pra ele, na realidade foi a única solução que encontrou para seguir a vida da sua maneira. O filme é de 2011 e foi dirigido pelo dinamarquês Winding Refn. Estrelado por ninguém mais, ninguém menos que Ryan Gosling, um ator maravilhoso que soube interpretar de maneira magistral o papel do Piloto, tornando em algo real todo o mistério que envolve a história do nosso protagonista. Quando descobri que o filme era baseado em um livro, logo o coloquei na minha lista de desejos e agora depois de uns dois anos tive a oportunidade de finalmente adquirir o meu exemplar em uma viagem para visitar meus pais. Então vamos aos fatos e a minha impressão dessa obra de arte…

Ryan Gosling interpretando o Piloto

O personagem principal do livro é o Piloto, um dublê de filmes que encontra no crime uma forma de ter mais emoção e mais dinheiro na sua vida. Teve uma infância traumática, no decorrer das páginas temos alguns lampejos de memória infantil dele, onde ele lembra como a sua mãe começou a perder a sanidade aos poucos e finalmente matou seu pai na mesa de jantar enquanto ele comia um sanduíche de cebola. Para deixar ainda mais claro o tanto que sua mãe já estava insana ele “conta” para o leitor como certo dia sua mãe se casou com uma aranha que morava na área de serviço deles, levando insetos todas as noites para seu marido que tinha até um nome, Fred.

Posso dizer que a leitura em algumas partes fica meio densa, que o livro é inteiramente focado no Piloto, mas ao mesmo tempo você não quer desgrudar do livro, você quer ler mais e mais e cada página te da a sensação de que o livro é pequeno demais.

Um dos pontos marcantes do livro é a relação dele com Irene e seu filho, deixando claro que por mais reservado que ele fosse nutria sentimentos verdadeiros por esses dois e faria o possível para manter tudo certo pra eles. Aqui é um dos pontos que o livro fica muito diferente do filme, como foi dito acima o filme é uma adaptação e o diretor manteve apenas os personagens e certas partes do enredo, mas em sua grande parte a história muda. Por isso super indico tanto o filme quanto o livro, os dois são maravilhosos.

O ponto alto do livro é quando Standard, marido de Irene que estava preso é libertado. Ele e o Piloto começam a nutrir uma amizade muito grande, vivendo então os quatro em grande harmonia. Até que Standard arruma um serviço e acaba mexendo com as pessoas erradas, envolvendo o Piloto nessa enrascada. O restante do livro vai nos contando como o Piloto se livra dos problemas que essa armadilha trouxe e mais uma vez vemos a sua maestria e como a sua frieza o tira de diversas complicações.

O livro me chocou em alguns aspectos principalmente quando conta o final de Irene e do Piloto, o que acontece com o filho de Irene e Standard vai entristecer muitos dos leitores mais sensíveis. Eu devorei o livro em dois dias, depois me arrependi pois duvido que irei encontrar outro livro nesse estilo tão bom quanto. Quem tiver oportunidade leia e se apaixone assim como eu pelo Piloto e veja o filme e se encante ainda mais com Ryan Gosling e sua beleza. Deixo aqui o trailer do filme e algumas imagens, fora o meu 10/10 para a leitura!

 

REVIEW OVERVIEW
Nota
SHARE
Jakline Costa
Historiadora, escritora e leitora voraz, passo os meus dias lendo e pesquisando assuntos novos.