[Resenha] Julieta Imortal | Stacey Jay

110786500SZNome: Julieta Imortal

Autora: Stacey Jay

Ano: 2011
Editora: Novo Conceito

237 páginas

Em “Julieta Imortal” a escritora Stacey Jay tenta fazer uma nova leitura sobre a história de amor mais famosa de todos os tempos, aqui Julieta não se suicidou como contou Shakespeare, a jovem Capuletto na verdade foi assassinada por Romeu em troca de imortalidade, todavia, de alguma forma, a alma de Julieta também se torna imortal e os dois passam mais de 700 anos viajando em corpos emprestados, numa luta interminável.

Julieta está morando do corpo de Ariel, e sua missão na terra é unir sua melhor amiga Gema e Ben (sim, a grande missão dela no mundo é unir casais adolescentes), enquanto a função de Romeu é propagar o mau e arruinar qualquer plano de Julieta. Essa dualidade exagerada do enredo é absolutamente infantil e irritante, é sempre bem contra mal, luz contra treva, mocinhos e bandidos. Sem nenhum profundidade em absolutamente NENHUM personagem Stacey Jay apela para o clichê do triangulo amoroso fazendo Ariel (Julieta) se apaixonar por Bem (suposta alma gêmea de sua melhor amiga).

“Prefiro morrer a fazer você feliz”

A escrita de Jay é extremamente imatura dando a impressão de que está o tempo todo produzir frases de efeito ou grandes declarações de amor, quando tudo que faz é mergulhar num mar de clichês e palavras rasas. Julieta tem mais de 700 anos, mas isso parece ter sido esquecido pela autora que a retrata como uma adolescente ingênua que em encontra “o amor de sua vida” conhecendo-o a apenas três dias.

Também são apresentadas duas entidades mitológicas que em momento algum recebem algum tipo de explicação, os Mercenários e os Embaixadores são “alguma coisa” que tem controle sob o mundo, as pessoas e as relações, representam a luz e as trevas, e são eles quem controlam os passos de Romeu e Julieta, são eles quem ditam as missões a serem cumpridas.

“Julieta Imortal” é um livro lento e sem propósito, a escrita exageradamente imatura pode afastar inclusive o público mais jovem, trama mal explicada e personagens sem profundidade fazem a história ser cansativa e previsível.

REVIEW OVERVIEW
Nota
SHARE
Estudante de psicologia, cinéfila entusiasta, seriadora e leitora. Dona da página "Curiosos por Filmes" no Facebook. Séries favoritas: Criminal Minds, Chuck, Friends e One Tree Hill. Os filmes favoritos são mais difíceis de escolher...