[Top 10] Os PIORES filmes de 2016

Nesse ano de 2016 tivemos muitos filmes esperados e com grande potencial, mas nem todos foram bem sucedidos. Muitos fracassaram tão feio que nem terão continuações, outros ajudaram a afundar novas franquias e outras desperdiçaram enorme talento de diretores e elenco.

Veja abaixo alguns dos filmes que decepcionaram nesse ano:

 

10- Rock em Cabul

Nessa comédia musical protagonizada por Bill Murray, nós vemos a história de Richie Lanz produtor musical fracassado e desesperado que fica preso no Afeganistão e acaba descobrindo um novo talento musical, Salima Khan interpretada por Leem Lubany, agora ele fará de tudo para levar ela para Cabul para um show de talentos. O filme prometia uma icônica trilha sonora e uma história divertida segurada pelo carisma de Bill Murray, o que vemos no entanto, é um filme de piadas prontas que não fazem jus ao talento do ator, personagens sem profundidade que não parecem entrosados, astros como Murray, Bruce Willis e Kate Hudson são desperdiçados em uma trama onde falta ritmo e falta desenvolvimento e vendo que lida com temas complexos como a disciplina das mulheres no Afeganistão faltou certo cuidado no roteiro, Murray carrega quase todo o filme sozinho, o longa não possui nada diferente de diversas outras produções e Leem Khan não possui muito charme.

 

 

 

9- Pets: A Vida Secreta dos Bichos

Max é um cachorro muito apegado à sua dona que se vê ameaçado após a chegada de um novo cachorro em sua casa, os dois entram em conflito e se perdem na cidade, agora eles terão que se entender, se aliar a outros animais e sobreviver aos perigos se quiserem voltar para sua dona.

Com um roteiro arrastado que se perde, falta de profundidade e desenvolvimento tanto na trama como em seus personagens, poucos personagens carismáticos, o maior trunfo está no coelho Snowball, o melhor personagem de todo o filme, estranho, carismático e psicopata, ele dá todo o ar da graça dessa animação e claro não podemos esquecer que a maioria das boas piadas estão em seus trailers, fazendo com que a animação frustre e decepcione bastante os fãs do gênero.

 

 

8- Independence Day: O Ressurgimento

Duas décadas depois do ataque anterior, a Terra é obrigada a enfrentar uma nova ameaça, mas dessa vez eles estão preparados, o que eles não sabem é que o inimigo também se preparou. Independence Day: O Ressurgimento, frustra principalmente por termos esperado 20 anos por essa sequência e por ter um enorme potencial de história e tecnologia disponíveis, mas no final o filme não nos traz nada de novo e em nada lembra toda a força que o original possuía, ele é um filme arrastado, com um novo elenco sem carisma e com péssima química, onde o que se salva são algumas cenas de ação e as atuações de Jeff Goldblum e Bill Pullman.

 

 

 

7 – O Caçador e a Rainha de Gelo

Nessa continuação de Branca de Neve e o Caçador sai Kristen Stewart e o diretor Rupert Sanders e da o destaque à Chris Hemsworth e o novo diretor Cedric Nicolas-Troyan, nessa aventura que se passa antes e depois da história do novo filme, onde conhecemos a história do Caçador e sua luta para ficar junto de Sara e enfrentar as poderosas Ravenna Freya. O filme tenta se manter com seu incrível elenco formado por Jessica Chastain, Charlize Theron, Emily Blunt e Chris Hemsworth, mas que não conseguem segurar um roteiro confuso, com diversos furos cronológicos e uma má edição que faz com que o que deveria ser uma empolgante aventura cheia de ação se torne um filme arrastado e cansativo. Chris Hemsworth esbanja carisma e Charlize Theron sabe como personificar sua vilã, no entanto, Emily Blunt e Jessica Chastain tem que lidar com personagens rasos onde você não consegue entender bem suas motivações.

 

 

 

6- A Série Divergente: Convergente

Após a revelação da mensagem de Edith Prior os jovens Tris, Quatro e seus amigos devem abandonar Chicago e correr para descobrir o que há além da cerca. Convergente é o terceiro filme da franquia “Divergente” e que perdeu completamente o ritmo, apresentando um roteiro negligente e os atores parecem que estão ali por questões contratuais, pois não existe esforços em suas atuações. Além disso, a direção de fotografia é muito malfeita e por ser um filme que explora novos horizontes ele tenta explanar o local em ângulos diferentes, mas, que acaba fazendo com que o espectador perceba o péssimo trabalho de computação gráfica. O filme foi tão ruim nas bilheterias que por decepcionar os fãs especula-se que o último filme seja uma série derivada.

 

 

 

5- 12 Horas Para Sobreviver: O Ano da Eleição

12 Horas Para Sobreviver: O Ano da Eleição” é o terceiro filme da franquia de terror e ação, e agora acompanha o policial Barnes agora é guarda-costas da senadora e candidata à presidência Charlie Roan e deverá sobreviver e proteger ela durante as 12 horas da noite anual do crime.

Um filme cheio de estereótipos com etnias, roteiro cheio de decisões forçadas entre os personagens, atuações caricatas e rasas, existe uma necessidade dentro do filme de misturar horror e ação e mostrar política e religião dentro da mistura, mas acabam sendo mal-usados por serem temas complexos que exigem tempo e cuidado na trama para serem desenvolvidos. Com tudo isso o terceiro filme conseguiu estragar tudo que a franquia havia conquistado em seu primeiro e segundo filme.

 

 

 

4- Deuses do Egito

Set o deus da trevas mergulhou o Egito em um período sombrio, agora um jovem ladrão que busca salvar sua amada, raptada pelo vilão Set, para isso ele irá pedir auxílio ao deus Hórus para derrotar Set e salvar o Egito. Com pavorosos efeitos digitais que doem os olhos, um roteiro fraquíssimo e bons atores como Chadwick Boseman, Nikolaj Coster Waldau e Gerard Butler sendo terrivelmente desperdiçados em um filme pensado para ser um dos maiores blockbusters do ano e que fracassou de forma colossal até nas bilheterias.

 

 

 

3- Águas Rasas

Em Águas Rasas nós conhecemos a história de Nancy, uma estudante de medicina em uma jornada de autoconhecimento que resolve surfar em uma praia muito comentada por sua mãe, e é aí nessa praia que surgem todos os problemas do filme, uma péssima edição que não traz o ritmo esperado de ação e tensão esperado da obra, uma atuação enfraquecida por um roteiro que se perde pois, não somos capazes de entender seu arco dramático e suas motivações, furos no roteiro em relação à sua família, além de uma direção de fotografia frustrante e uma trilha sonora sem nenhum charme.

 

 

 

2- A Bruxa de Blair

Em Bruxa de Blair, um grupo de estudantes se aventuram pela floresta de Black Hills para tentar descobrir o mistério ao redor do desaparecimento da irmã de James. O filme prometia reiniciar a franquia de sucesso que iniciou a onda de gêneros de terror handycam. Nessa produção, não encontramos nada de novo a não ser câmeras novas, não faz jus ao peso do primeiro filme, não consegue expandir o universo que tanto prometeu e o que vemos é um filme que se arrasta por toda sua duração sem nada acontecer e quando acontece nós vemos o roteiro tomar decisões forçadas estragando todo o potencial desse reboot.

 

 

 

1- Inferno

Inferno” acompanha o simbologista Robert Langdon que é arrastado para dentro de mais uma conspiração, agora ele deve correr contra o tempo para impedir um vírus mortal de se espalhar. Apesar de belíssimas locações e um conceito interessante, o filme sai com uma má edição, fotografia batida, péssimos efeitos em CGI, roteiro cheio de clichês, situações forçadas e uma má direção de elenco que consegue extrair o pior de Felicity Jones e Tom Hanks, talvez alguns dos pontos positivos esteja nos coadjuvantes interpretados por Bem Foster e Irrfaan Khan, esse que inclusive parece estar se divertindo no papel, mas são participações tão breves que não há como segurar o filme, tornando praticamente insuportável de se assistir.

 

 

 

 

SHARE
Otávio Renault
Nascido em São Joaquim da Barra interior de São Paulo, sou um escritor, cineasta, fotógrafo, desenhista e autor na Cine Mundo, além de um cinéfilo fã de Quentin Tarantino, J.J. Abrams, Neil Gaiman, viciado em séries e leitor de quadrinhos/mangás.