4 assuntos que devem ser abordados na segunda temporada de “Amor e Anarquia”

Adoro indicar para vocês séries estrangeiras e eis que vai mais uma “Amor e Anarquia” a série sueca, acompanha a vida de Sofie (Ida Engvoll), uma consultora com meados de 40 anos, casada e com dois filhos, foi contratada por uma editora para conceder estratégias de marketing com intuito de modernizar a empresa. Lá, ela começa a repensar sobre a sua vida, e se envolver com o jovem Max (Björn Mosten), um profissional de TI que passa a proporcionar para ela momentos inesperados e é claro, que me deixou conspirando aqui sobre o que poderia ser a próxima temporada.

Confiram 4 temas que podem ser abordados na próxima temporada da série:

Atenção! Contém Spoiler

1- O Futuro da Editora

A ambientação na renomada editora apresenta questionamentos pertinentes sobre a sobrevivência dos mercados de livros, a falta de interesse dos escritores mais conservadores de se modernizar, as adaptações de livros em filmes e as mudanças realizadas para tornar o filme mais dinâmico, a chegada do streaming e a forma do público consumir conteúdo, apesar de não se aprofundar,  é na editora  onde tudo acontece e após o desfecho final de ter seu contrato quebrado com a empresa que a tiraria do vermelho,  será que ela ainda vai consegue se manter?

2– O Casal

Sofie (Engvoll), é uma mulher que administra a sua vida pessoal e profissional e precisou bloquear alguns de seus sonhos, desejos e fantasias. Já Max (Mosten) é repleto de traumas familiares e ao perceber uma trégua por parte de Sofie e eles dão início a um relacionamento bem caloroso, mas as coisas não são tão fáceis para Sofie e mergulhar de cabeça vai ocasionar várias consequências na sua vida.  Fica a questão que poderá ser respondida na próxima temporada, será que ela vai se permitir?

3 – A vida de Casada

Na sua vida de casada, ela é um pouco oprimida pelo marido que quer ser superior, não a permite que tome muitas decisões relacionadas aos seus filhos, expõe as questões pessoais do casal a amigos próximos e ela sempre fica desconfortável e quer a afasta ela a qualquer custo de seu pai que tem problemas mentais com a desculpa de zelar pela família, ou seja, resumindo, ele é um pouco abusivo e ela sente que não pode ser ela mesma em seu ambiente familiar. Mas, será que ela vai conseguir fechar este ciclo com seu marido?

4 – A vida profissional de Sofie

Parece que Sofie teria dado uma boa escritora se não fosse as questões de seu pai que tem problemas mentais, e é responsável por grande parte da carga dramática da série, ela precisa cuidar dele e isso a talvez, tenha a feito achar que não era capaz ou não ter tido oportunidade, sabe-se que ela tem um livro intitulado “Amor e Anarquia” que ainda não terminara de escrever, mas será que Max pode servir de inspiração para que ela se torne uma escritora de sucesso?

Como vocês podem ver, ainda ficamos sem respostas para várias questões, agora é torcer e acreditar na renovação dessa série tão singela que ganhou meu coração.

SHARE
Andreza Nunes
Nascida em Recife, jornalista por formação e pós graduando em Gestão de Comunicação Digital e Mídias Sociais. Acredito que o cinema é uma arte enriquecedora que pode promover reflexões, mudanças e propiciar a fuga da realidade.