5 motivos para NÃO assistir 365 dias, um dos piores filmes da Netflix

365 dias tem sido um sucesso na Netflix, disso não temos dúvida, o filme está entre os mais assistidos desde que lançou na plataforma e resolvi assistir para entender o que ele tem de bom, mas pasmem: não há nada de positivo para se extrair dessas duas horas.

O filme polonês acompanha Laura (Anna-Maria Sieklucka), que é sequestrada pelo mafioso Massimo (Michele Morrone) e é obrigada a se apaixonar por ele em até 365 dias. Confiram os 5 motivos para não assistir a produção:

1 – Brega

motivos para NÃO assistir 365 dias

O filme é brega, completamente cafona! Massimo tem a visão de Laura durante a morte do seu pai e depois disso o seu objetivo é encontrar a moça e fazer com que ela se apaixone por ele. Ele fica tão obcecado com este encontro que tem quadros pendurados dela em sua casa – que tem uma decoração pavorosa, inclusive. Existe uma cena de um jantar que é o ápice da breguice, parece que somos imersos a um filme de terror devido aos castiçais vermelhos sobre à mesa e o figurino tosco. Poderia fazer uma lista só com os momentos mais vergonhosos, porém vamos seguir para o próximo tópico.

2 – Novo 50 Tons?

“O novo 50 tons” é a denominação dada por várias pessoas pela internet, mas diferentemente da trama do Christian Grey, essa consegue ser ainda mais problemática, afinal estamos falando de um sequestro, ok? Laura e Massimo não tem química fora das performances sexuais e para ter o amor dela ele joga baixo, chegando ao ponto de levá-la até um quarto e obrigá-la a assistir ele fazendo sexo oral em outra mulher em uma tentativa de despertar o interesse da moça. O casal não protagoniza uma cena sequer de respeito um pelo outro, é puro sexo, e sexo ensaiado na pegada de filmes pornôs, ou seja bem explícito. Os filmes baseados na obra de E. L. James tem outros problemas, mas que não chegam nem perto desta produção.

motivos para NÃO assistir 365 dias

3 – Glorificação da Síndrome de Estocolmo

Se você não sabe o que é síndrome de Estocolmo, vou te explicar, trata-se de um estado psicológico em que a pessoa é submetida a intimidação, medo, tensão e até mesmo violência física, mas depois de tudo passa a ter empatia pelo seu agressor podendo desenvolver sentimentos afetivos. Isso é um problema sério e não é saudável romantizar este tipo de relação. Massimo é obcecado por Laura e a sequestra, impõe que durante 365 dias ela o ame, e isso não é normal, não é romântico e não é legal de nenhuma forma. Há muitas maneiras de se cortejar uma mulher e essa não pode ser um exemplo. Ele a trata como objeto, principalmente quando diz “se vista vamos à uma festa” ou “não use essa roupa”, “não haja dessa forma”, “não seja assim”, ou seja, ele passa a controlá-la e este comportamento age em contrapartida aos movimentos que a própria indústria cinematográfica tem feito para apoiar a liberdade das mulheres.

4 – O auge do Machismo

Michele Morrone interpreta um machista nato, desde o começo na cena com a aeromoça, as suas atitudes e comportamentos mostram que ele contraria o movimento “não é não”, ele é o auge do que chamamos de “boy lixo”, pois não consegue ver a mulher como pessoa e sim como um produto para ele exibir. A mulher em questão se quer entende o que ele faz, é citado que ela vai trabalhar como gerente de um hotel, hotel este que ela nunca pisou, ela vive em função do homem e muitos homens ainda acham que isso é certo, mas esse paradigma que mulher gosta de homem cafajeste já mudou há muito tempo né, alô?

motivos para NÃO assistir 365 dias

5 – A Peruca de Laura

Em um salão de beleza, Laura decide mudar o visual e ficar loira, e claro, que não tem problema nenhum. A complicação não está na mudança, até porque a mulher tem que se sentir bem como ela achar melhor, mas a peruca que escolheram para a personagem parece que vai cair a qualquer momento e o motivo da mudança é problemático, pois fica subentendido que foi por conta de uma rivalidade feminina ao ver que a ex-namorada de Massimo era loira.

365 dias tem problemas muito sérios, o filme romantiza um relacionamento abusivo, e não se preocupa em informar que é errado, pelo contrário, normaliza a situação. No site “Rotten Tomatoes”, o longa chegou a receber 0% de aprovação por parte dos críticos, mas aparentemente, pela opinião do público é um verdadeiro sucesso e deve ganhar até uma continuação.

SHARE
Andreza Nunes
Nascida em Recife, jornalista por formação e pós graduando em Gestão de Comunicação Digital e Mídias Sociais. Acredito que o cinema é uma arte enriquecedora que pode promover reflexões, mudanças e propiciar a fuga da realidade.