Confira o que rolou no painel de Diamond Films na CCXP Worlds

As patroas Jessica Chastain, Penélope Cruz e Fan BingBing tomaram conta do Thunder Arena para falar sobre As Agentes 355 o filme  conta a história em que uma arma ultrassecreta cai nas mãos de um grupo de mercenários que ameaçam o mundo, a agente da CIA Mace Brown (Jessica Chastain) terá que unir forças para uma missão letal com a agente alemã Marie (Diane Kruger); a ex-membro do MI6, especialista em computadores, Khadijah (Lupita Nyong’o); a psicóloga Graciela (Penélope Cruz), e com Lin Mi Sheng (Bingbing Fan), uma mulher misteriosa que está rastreando todos os seus movimentos. Cheio de adrenalina, As Agentes 355 apresenta inúmeras cenas de ação ao redor do mundo, dos cafés de Paris e mercados do Marrocos à riqueza e glamour de Xangai.

A atriz Penélope Cruz falou “Como mulher vejo a importância do filme focado em mulheres”, o longa promete sair do óbvio dentre as produções sobre espionagem e inspirar mulheres de todas as idades.

Para Chastain “Uma das principais razões porque eu queria fazer esse filme era que eu queria pelo menos tentar fazer minha próprias acrobacias, ou seja, as minhas cenas de ação”. Já vimos que podemos esperar algumas cenas de luta, né?

Ainda enfatizando a fala do quão empoderador foi o clima no set, Cruz comentou “Trabalhar com essas atrizes, interpretar essa personagem, e em um set que envolve muitas mulheres, só tenho agradecer” e também arranhou algumas palavras em português “Eu amo muito você, Eu amo o Brasil, Eu amo Fernando de Noronha e os meninos falam português, mas eu não” E a gente fica como?

No painel, foi exibido o trailer de O Cavaleiro Verde, é uma história intrigante encabeçada pelo produtora A24 com protagonismo de Dev Patel, um modelo do poema do século 24 “Sir Gawain e o Cavaleiro Verde”, confira o teaser:

Por fim, os roteiristas Ilana Casoy e Raphael Montes estiverem presentes na CCXP Worlds para falar dos dois filmes A Menina que Matou os Pais e O Menino que Matou Meus Pais – um sob o ponto de vista de Suzane von Richthofen (Carla Diaz), e outro do ponto de vista de Daniel Cravinhos (Leonardo Bittencourt).

Carla Diaz diz que precisou se isentar do seu julgamento pessoal e explicou “Foi muito material para estudar, documentos, fotos, vídeos, ferramentas de trabalho para desenvolver a personagem.”

Ilana Casoy conhecedora do caso pede “Espero que as pessoas tenham cuidado e assistam os dois filmes de 80 minutos”.

O filme estava previsto para lançar em 2 de abril deste ano, mas devido a pandemia do covid-19 foi adiado e deve ser lançado no ano de 2021.

SHARE
Andreza Nunes
Nascida em Recife, jornalista por formação e pós graduando em Gestão de Comunicação Digital e Mídias Sociais. Acredito que o cinema é uma arte enriquecedora que pode promover reflexões, mudanças e propiciar a fuga da realidade.