Os 7 filmes de terror que se destacaram em 2019

Lembro de 2018 não ter sido um ano tão favorável para o gênero terror, mas em 2019 as coisas começaram a melhorar de forma considerável e tivemos grandes filmes. Confira a seguir os grandes destaques do ano.

Nós

Jordan Peele é um diretor com a carreira consolidada, tendo a sua ascensão no terror com “Corra!” (2017), e em “Nós” ele trouxe novas questões pertinentes a sociedade americana, mas que não estão tão distantes da realidade de nós brasileiros que é a desigualdade social, a imigração e a dualidade do ser humano.

Maligno

Podemos dizer que “Maligno” tem os seus méritos por tentar contar uma história que aborda algo tão polêmico como reencarnação, colocando todos como vítimas sem apontar um vilão. O longa ainda traz um conceito de medo que coloca em prova questões morais, a nossa espiritualidade e de que maneira as nossas vidas passadas podem influenciar nas atuais, se é que isso é possível.

Histórias Assustadoras para Contar no Escuro

“Histórias Assustadoras para Contar no Escuro” é um filme que sabe desenvolver os seus personagens, criando uma história que consegue assustar com uma ótima mistura de efeitos práticos e digitais, desenvolvendo criaturas medonhas e aterrorizantes. O longa também flertar com elementos políticos dos anos 60 e pontos nostálgicos do terror, além de terminar com grandes chances de render uma continuação.

Midsommar – O Mal Não Espera a Noite

A mente visionária de Ari Aster nos presenteou com Hereditário em 2018, e agora retornou aos cinemas com “Midsommar”, que se apoia em um culto para falar sobre relacionamentos abusivos, dependência e família. A trama é perturbadora e você vai acompanhando através de Dani (personagem da Florence Pugh) mostrando até que ponto o ser humano pode chegar. Este filme é uma obra-prima do terror.

Eli

“Eli” é um dos poucos pontos assertivos da Netflix no gênero de terror, ele tem uma construção interessante e um plot twist que vai dividir opiniões, uns podem gostar do final, outros não. Porém, dentro do padrão Netflix que trouxe filmes como “Vende-se esta casa” (2018) e “O Último Capítulo” (2016), ele consegue se sobressair.

Ready or Not – O Ritual

O filme acaba se destacando tanto pela sua narrativa como também pelo subtexto social, afinal ele se constrói intercalando suspense, horror e comédia na dose certa divertindo o público e por toda a história existe uma forte sátira a respeito das classes sociais e até onde as pessoas são capazes de ir para manter seus privilégios.

O Farol

Consegui assistir ao filme “O Farol” através do XI Janela Internacional de Cinema do Recife, com a sala lotada e os olhos todos voltados à projeção preto e branco e com Robert Pattinson e Willem Dafoe entregando tudo de si, em um filme debruçado no simbolismo e nas construções de campo abstrata. Para quem não conseguiu assistir nos festivais que rodaram o Brasil, o longa chega as demais salas de cinema no dia 2 de janeiro.

SHARE
Andreza Nunes
Nascida em Recife, jornalista por formação, adoro ensinar e trocar conhecimento. Acredito que o cinema é uma arte enriquecedora que pode promover reflexões, mudanças e propiciar a fuga da realidade.